Sobre o projeto

Queridos e queridas, sejam bem-vindxs ao Devagar! Mas por gentileza, não tenham pressa. Há um caminho mais comprido, mais demorado que o habitual, mas é o caminho que recomendamos. Divaguem, meus amores, o mundo é de vagar. Pensemos: o que se vê quando se olha?

O que vemos ao olhar para a educação? E para o gasto do Estado com o sistema financeiro, que atualmente é muito maior do que o investimento social? E o que a gente vê ao olhar para um gesto tão cotidiano quanto o selfie, ou ainda pra algo tão estrangeiro quanto o Princípio da Dualidade Onda-Partícula – coisa da física quântica? Você, o que vê quando olha?

Dia 12/12, sábado, apresentaremos no palco do Teatro Marília, no centro de BH, o resultado de diálogos que vem sendo amadurecidos há meses entre cientistas, artistas, empreendedores, ativistas e livre pensadores. Lá, eles ganharão a forma de conferências-conceito, que são abordagens produzidas em conjunto por especialistas e artistas. Para cada assunto, um jeito de contar.

Ao apoiar o Devagar por meio dessa campanha, você pode conhecer em primeira mão as reflexões que preparamos em torno de questões como estas. Queremos te receber no Teatro Marília, no dia 12/12, para dividir essas experiências e divagar juntos. Olha quem já vem:

O Sistema da Dívida
Maria Lúcia Fattorelli, Sara Lana e Maria Leite

Maria Lúcia Fattorelli foi a única brasileira que compôs a equipe responsável por auditar a dívida pública da Grécia – tema candente e cujas repercussões ainda estão se processando. Membro técnico da CPI da Dívida Pública Brasileira e da auditoria da dívida no Equador, a mineira, que coordena a Auditoria Cidadã da Dívida, tem um dedicado trabalho de sensibilização sobre o gasto com o sistema financeiro nos estados democráticos – questão tão relevante quanto complexa que, em geral, fica circunscrita aos versados em economês. Para abordar o assunto em termos mais sensíveis, as artistas plásticas Maria Leite e Sara Lana, em parceria com Fattorelli, constroem uma máquina/instalação visual que ajuda o público não especializado a entender o Sistema da Dívida.

O Princípio da Dualidade Onda-Partícula
Gabriela Barreto Lemos e Henrique Roscoe

Gabriela é uma cientista mineira que, em 2014, realizou um feito junto da equipe que coordena na Academia Austríaca de Ciências: a primeira fotografia quântica da história. Há uma série de princípios por trás desse trabalho e entre eles aquele que é considerado um dos mais belos na história das ciências: o princípio da dualidade onda-partícula. Mirabolante para a maioria dos não iniciados em física quântica, este princípio ganha, no Devagar, uma interpretação lúdica, poética, que resulta do encontro da cientista com o premiado artista Henrique Roscoe, o VJ 1mpar. Juntos, eles protagonizam uma das conferência-conceito que sobem ao palco do Marília.

Pedagogia e Democracia
Sérgio Godinho

Envolvido com um projeto pedagógico que avança sobre as bases do construtivismo, Sérgio Godinho dirige há mais de dez anos a Escola da Serra, em Belo Horizonte. Apoiado por uma equipe de educadores dedicados, ele demoliu as paredes que separavam turmas na escola, aboliu a separação dos alunos por séries, criou sistemas de avaliação balizados na participação democrática e vem se consolidando como um dos pensadores mais respeitados quando o assunto é inovação e democracia na educação. Para Sérgio, o ensino separado por disciplinas não cumpre as promessas que faz e, no palco do Devagar, ele compartilha os resultados de uma alternativa a esse modelo.

A antropologia do Selfie
Daniel Iglesias e o gesto dos retratistas 

Daniel Iglesias é um fotógrafo tão inserido quanto crítico da geração que tem como um dos gestos mais característicos o “tirar uma selfie”. Iglesias sai à procura do primeiro selfie de que se tem notícia, explora as diversas categorias possíveis para a técnica, e apresenta um guia rápido do que fazer e o que não fazer na hora de se autorretratar. Junto ao coletivo Erro 99, o fotógrafo tem tido um papel fundamental na ampliação das discussões a respeito do fotojornalismo, da fotografia como ferramenta de ativismo, e das crises pelas quais a produção de imagens vem passando.

postal (1)

Postais feitos por Maíra Botelho

 

poster_mockup_MD (1)

Pôster por Maíra Botelho

 

ORÇAMENTO APROXIMADO*
 
8.000,00 – Som, iluminação e projeções
1.200,00 – Passagens aéreas
2.500,00 – Equipe de Montagem
1.260,00 – Comunicação
3.240,00 Variavel 5, recompensas, correios
 
TOTAL – R$16.200,00
*Para realizarmos a primeira edição do Devagar estimamos um custo de realização de aproximadamente 50 mil reais. A nossa campanha de financiamento coletivo tem como objetivo alcançar cerca de 30% desse valor. Outros parceiros e patrocínios estão sendo negociados pela equipe de organização que, em 2015, se dispôs a trabalhar voluntariamente para que o projeto aconteça.

 


Notícias

Por enquanto não há notícias relacionadas a esse projeto.


Variantes

    95 61 34
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • 1
  • LETICIA FRANCO1
  • 1
  • 1
  • Rolf Elias Gaspar1
  • 1
  • 1
  • Polyana Inacio1

    Comentários